Imagem do Google

A Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos de Campina Grande – STTP já estuda o reajuste da tarifa de passagem de ônibus coletivo na cidade, mas o valor a ser acrescentado ainda não foi divulgado.

Em entrevista à Rádio Correio, o diretor do Sitrans, Anchieta Bernardino disse que apresentou, em dezembro, em João Pessoa e Campina Grande, um pedido de equilíbrio econômico financeiro à STTP  e atribuiu o aumento nesta tarifa devido a “queda de passageiros” e a “concorrência ilegal com transportes clandestinos”.

Anchieta também apontou o aumento dos insumos e o fato de reajustar em 10% o salário dos motoristas há três anos seguidos como motivos que contribuem para a necessidade de reajuste.

“O número de passagens em 2005, era de cinco milhões. A cidade tinha 350 mil habitantes e hoje tem 450 mil habitantes com apenas 2,5 milhões de passagens. Verificamos a saída de passageiros do sistema legal para quem faz ilegalmente. Eles podem cobrar o quanto quiserem, na hora que quiserem porque não tem obrigações trabalhistas. O transporte legal dá meia passagem ao estudante e leva o idoso”, disse Anchieta.

O superintendente da STTP, Félix Neto, também na Rádio Correio, afirmou que está em processo de estudo e tudo “vai seguir em processo natural, conforme a legislação manda”.

“Logo teremos uma reunião junto ao Comitê e a um Conselho específico. O valor chega próximo à R$3, mas vamos analisar toda a documentação. Não foi quantificado ainda, foi apenas dada a provocação inicial. Vamos analisar isso e seguir no processo natural. Seguindo os tramites. Iremos observar os contratos com a cidade e os custos disso. É necessário ter seriedade e compromisso com a cidade “, disse o superintendente.

O processo será concluído até março.

Da Redação.